CloudWare

Tecnologia e Educação a Distância

Terça, 10 Janeiro 2012

Conheça as diversas técnicas e metodologias de ensino a distância e os desafios que o sistema educacional em sua totalidade enfrenta atualmente

ead

"Tecnologia e educação a distância: abordagens e contribuições dos ambientes digitais e interativos de aprendizagem" (ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de, 2003), da pesquisadora e educadora Maria Elizabeth, faz uma abordagem geral sobre as diversas técnicas e metodologias de ensino a distância aliada as TICs (Tecnologia da Informação e Comunicação), tomando como ponto principal o desafio que A EaD (Educação a Distância) e o sistema educacional em sua totalidade enfrentam hoje.

A EaD existe desde o século XIX, inicialmente o correio era usado para transmitir informações e instruções aos alunos e receber destes as respostas às lições propostas, permitindo que a educação convencional fosse acessível às pessoas residentes em áreas isoladas ou àqueles que não tinham condições de cursar o ensino regular no período apropriado. Mais tarde o uso do rádio para disseminação rápida da informação também passou a ser utilizado.

Ao longo de décadas a EaD foi se aperfeiçoando e evoluindo utilizando as tecnologias disponíveis a seu favor. Ainda hoje, o foco da EaD continua sendo o mesmo: romper a barreira tempo-espaço e levar o conhecimento para qualquer pessoa, independente de onde esteja ou o horário de disponibilidade para estudo. Mesmo com cerca de um século de existência, sua ideia se mantém simples e objetiva.

Com o avanço exponencial da tecnologia, mais precisamente com o avanço da WWW (World Wide Web), a EaD está mais forte do que nunca. Através da internet e afins, o uso de recursos como vídeo/áudio conferência, fóruns, eventos/palestras online, juntamente com ambientes digitais dedicados ao ensino, como o Moodle, e novas modalidades de EaD como E-Learning e M-Learning, as pessoas tem acesso a uma infinidade de informações disponíveis 24/7/365, ou melhor, a todo o momento.

 “É importante compreender que os desafios da EaD são congruentes com os desafios do sistema educacional em sua totalidade, cuja análise implica em analisar que  educação se pretende realizar, para quem se dirige, com quem será desenvolvida, com o uso de quais tecnologias e quais as abordagens mais adequadas para acelerar o processo de inclusão social da população brasileira.”

Por mais avançada que a EaD possa estar atualmente, ainda continua sendo uma metodologia de ensino, sendo assim, qualquer projeto que envolva EaD deve ser muito bem planejado/desenvolvido permitindo que a informação seja entregue ao público alvo corretamente, e que a informação não seja apenas entregue, mais sim assimilada pelo aluno. Este é o maior desafio da EaD.

“O advento das tecnologias de informação e comunicação – TIC – trouxe novas perspectivas para a educação a distância devido às facilidades de design e produção sofisticados, rápida emissão e distribuição de conteúdos, interação com informações, recursos e pessoas, bem como à flexibilidade do tempo e à quebra de barreiras espaciais.”

Como foi dito anteriormente, com o avanço da WWW diversas possibilidades surgiram, permitindo a disseminação quase que instantânea da informação para todo o mundo. Com este avanço desenfreado da tecnologia, este grande desafio da EaD, de não apenas levar a informação mas sim fazer com que o aluno aprenda, está cada vez mais difícil de ser superado.

Assim como Maria Elizabeth afirma “utilizar as TIC como suporte à EaD apenas colocando o aluno diante de informações, problemas e objetos de conhecimento pode não ser suficiente para envolve-lo e despertar-lhe tal motivação pela aprendizagem que ele crie procedimentos pessoais que lhe permitam organizar o próprio tempo para estudos e participação das  atividades, independente do horário ou local em que esteja.”

Apartir desta afirmação percebemos que o aluno tendo acesso à informação não é suficiente, é preciso ter um professor/orientador acompanhando-o durante todo o momento. Conforme Almeida (2000: 79) “é preciso criar um ambiente que favoreça a aprendizagem significativa ao aluno, desperte a disposição para aprender, disponibilize as informações pertinentes de maneira organizada e no momento apropriado, promova a interiorização de conceitos construídos”.

Sobre os ambientes digitais de aprendizagem podemos dizer que são sistemas computacionais disponíveis na internet destinados ao suporte de atividades mediadas pelas TICs. Segundo Maria Elizabeth, estes ambientes digitais “permitem integrar múltiplas mídias e recursos, apresentar informações de maneira organizada, desenvolver interações entre pessoas e objetos de conhecimento, elaborar e socializar produções tendo em vista atingir determinados objetivos”.

Estes ambientes digitais podem ser usados em conjunto com o ensino presencial, como suporte/incremento as atividades na sala de aula, ou podem ser usados de forma exclusiva, oferecendo um ensino totalmente online.

O que acontece frequentemente é certo curso EaD disponibilizar materiais didáticos (texto, hipertexto, recursos hipermediaticos...) cabendo ao aluno navegar pelos materiais, realizar as atividades propostas e dar as respostas, muitas vezes isolado, sem contato com o professor/orientador ou com os demais participantes do curso. Esta situação tem seu lado positivo assim como negativo.

Positivamente falando, este isolamento exercita a autonomia por parte do aluno e estimula a tomada de decisão sobre os caminhos a seguir na sequência dos conteúdos apresentados juntamente com a disciplina nos horários de estudos. Mas por outro lado, a falta de comunicação com o professor e o demais participantes, o impede de debater, questionar, tirar dúvidas quando houver, isto acarreta em um aprendizado limitado, frágil, incompleto.

Uma das formas mais eficientes é a aprendizagem coletiva onde, através de recursos disponíveis no ambiente, a tomada de decisões, diálogos entre participantes, troca de informações e experiências são constantes. Neste tipo de ambiente é frequente a construção de grupos de estudo/debate que permitem aos participantes crescerem não apenas individualmente, mas também, coletivamente.

“Para desenvolver a educação a distância com suporte ambientes digitais e interativos de aprendizagem torna-se necessário a preparação de profissionais para desenvolver os recursos tecnológicos (software) condizentes com as necessidades educacionais, o que implica em estruturar equipes interdisciplinares constituídas por educadores, profissionais de design, programação e desenvolvimento de ambientes computacionais para EaD, com competência na criação, gerenciamento e uso desses ambientes.”

Com base nesta afirmação percebemos que apenas o desenvolvedor do ambiente digital, aquele que detêm o conhecimento técnico, não é capaz de criar algo que supra completamente as necessidades educacionais. Para que isso aconteça, é necessário que educadores participem do processo de desenvolvimento, pois são eles que sabem o que os alunos necessitam.

Podemos observar também que mesmo com tanta tecnologia e automação destes ambientes de aprendizado o papel do educador é fundamental, por ele é quem domina determinado assunto e tem experiência na arte do ensinar, sendo assim o mais qualificado a direcionar e moldar o conhecimento do aluno, coisa que a tecnologia por si só está longe de propiciar.

Tendo em vista os desafios encontrados na EaD atualmente, percebemos  que a inclusão digital, aprendizagem coletiva, participação frequente do professor, ambientes digitais mais ricos e fáceis de utilizar entre outros aspectos, são fundamentais para o sucesso e qualidade do ensino a distância.

Android

Java

Hibernate

Joomla!

CSS3

HTML5

Saia na Frente

html5 css3

Sobre Mim

sobre-foto-2Adriel Café é Web Master e Desenvolvedor Java. Ele incentiva o uso/estudo de Web Standards, Java e Android.

Saiba Mais

Encontre-me

facebook linkedin